A boa notícia é que existem maneiras de fazer com que o envelhecimento seja o mais saudável possível, em ritmos diferentes e de forma diferente. Vários hábitos diários podem influenciar diretamente no envelhecimento:

  • Alimentação balanceada – é muito importante dosar a quantidade de ingesta de sal, gorduras e açúcares, além de consumir vitaminas, minerais, fibras e beber muita água.
  • Atividade física regular – um dos fatores mais importantes. O ideal é que a atividade seja individualizada e adequada à necessidade específica de cada pessoa. Em geral, uma caminhada de 40 minutos, quatro vezes por semana, já apresenta ótimos resultados.
  • Sono – normalmente a necessidade de sono vai reduzindo ao longo da vida, mas é fundamental ter um sono de qualidade e quantidade adequadas.
  • Redução do estresse – atividades que geram grande preocupação, sobrecarga e ansiedade (excesso de trabalho, problemas familiares, trânsito etc) devem ser reduzidas dentro do possível.
  • Lazer – você já parou para fazer uma lista do que gosta de fazer no dia a dia? Após esta resposta, é preciso investir tempo no que foi listado.
  • Prevenção – é fundamental estar atento às vacinas para prevenção de doenças, exames periódicos para rastreamento de doenças e realização de tratamento precoce.
  • Relacionamento interpessoal – participar de grupos faz bem. Pode ser familiar, do trabalho, da igreja, do clube, do bairro, enfim, é importante estar com outras pessoas.
  • Abandono de vícios – cigarro, drogas ilícitas e bebidas alcoólicas.
  • Aprender coisas novas – hábito de leitura, fazer cursos, estudar idiomas, informática, artes plásticas, música etc.
  • Cuidar da saúde – passar por avaliação médica periódica. Tratar de forma adequada e mais precocemente possível as doenças que porventura venham a surgir. Buscar reabilitação de problemas já instalados.
  • Espiritualidade – independente de qual for sua religião é importante cuidar da espiritualidade.

 

É também fundamental durante a vida acumular sabedoria, para que assim, ao chegar na “velhice”, consiga-se compreender melhor as questões e dificuldades que envolvem o próprio viver.

 

Leonardo França Antunes

Clínica Médica e Geriatria - Clínica AUGE